Os Gigantes da Terra

16/10/2016 11:24

Os Gigantes da Terra

Gn.6.4 - Havia, naqueles dias, gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama.

Esta é uma das passagens que geram bastante polêmica no meio evangélico, pois a dificuldade é justamente a questão: Quem seriam estes filhos de Deus e estas filhas dos homens, que geraram gigantes sobre a terra? A princípio podemos notar que eram duas raças diferentes e por isso gerariam uma terceira raça, entendemos que pra existir uma nova raça de humanos seria necessário haver uma mistura genética, sem isso geraria a mesma espécie. Alguns acreditam que anjos se transformaram em homens e assim vieram estar com as filhas dos homens, gerando os gigantes, e estes anjos foram banidos do céu por causa deste pecado. E para provar esta tese utilizam os verso de Judas 6 e 7 “E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande Dia; assim como Sodoma, e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se corrompido como aqueles e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno”. E ainda outros utilizam mitologias gregas e egípcias que relatam a vinda de seres do alto e se relacionando com mulheres, pra defenderem essa tese.

Infelizmente não dá pra concordar com esta tese, justamente com o que Cristo nos ensinou sobre os anjos, em Mt.22.30 “Porque, na ressurreição, nem casam, nem são dados em casamento; mas serão como os anjos no céu”. Ou seja anjo é assexuado e não pode se relacionar com humanos. Então como explicaria essa raça de gigantes? A teologia tradicional acredita na tese acima, mas a teologia histórica, da qual entende que a ciência e a Bíblia devem caminhar juntas, pois uma não pode contradizer a outra, pois ambas devem conter a verdade universal, quem sabe em outro artigo explicaremos melhor sobre esta teologia. Assim a teologia histórica defende a tese de que na passagem de  Gn.1.27- “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou”. Neste versículos estaríamos falando do Homem de Neandertal e que teria surgido aproximadamente há 400 mil anos atrás e depois em Gn.2.7 – “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente”. Deus formou a raça adâmica, que veio a surgir aproximadamente há 40 mil anos atrás, conhecido como o Homo Sapiens. Então os Neandertais seriam conhecidos como os filhos dos homens, por serem uma raça mais antiga e se acredita que como satanás já estava no mundo, corrompeu esta civilização. Então Deus resolve formar Adão separado de todos, conhecido como filho de Deus, pois foi criado pelas próprias mãos de Deus, e se observar que em Gn. 2.15 “E tomou o Senhor Deus o homem e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar”. Adão foi colocado em um jardim separado dos outros homens que já existiam, pois se não fosse assim, não precisava guardar o jardim. E em Gn.2.20 “E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo animal do campo; mas para o homem não se achava adjutora que estivesse como diante dele.” Vemos que não se achava adjutora para Adão, ou seja foi procurado entre as mulheres que já existiam uma que fosse semelhante a ele, mas como todas já estavam em pecado, Deus resolveu criar uma da própria costela, e que seria geneticamente igual. Agora ficou fácil entender quem foi a esposa de Caim, foi provavelmente uma das filhas dos homens, então duas raças diferentes se encontram e surgem gigantes na terra. É lógico que tudo isto não passa de uma tese, É bom que se compreenda que estas linhas são apenas alguns pensamentos e não podemos transformá-los em dogmas ou doutrinas, mas nos ajudam a entender um pouco melhor a Palavra de Deus.

Pr. Marcelo Mena

Instituto Cristão Liberdade